Categoria decide: GREVE 100% em 08 de março – contra a reforma da Previdência e a Sampaprev

Categoria decide: GREVE 100% em 08 de março – contra a reforma da Previdência e a Sampaprev

        Mais de 10 mil profissionais de educação da rede municipal de ensino participaram, nesta segunda-feira (19/02), do Dia Nacional de Luta, convocado pelas centrais sindicais, contra a reforma da Previdência, do presidente Temer, e a instituição do Regime de Previdência Complementar/Sampaprev, pretendida pelo prefeito Dória. Após a manifestação, em frente à Prefeitura, no Viaduto do Chá, mais de 90% dos presentes decidiram, em assembleia geral, realizada pelo SINPEEM, decretar greve em 08 de março, Dia Internacional da Mulher.
Durante a assembleia foi deliberado que todos os profissionais de educação ali presentes compõem o Comitê de Mobilização do SINPEEM, para a greve de 08 de março, e trabalharão em suas unidades, com esclarecimento aos pais e alunos sobre a importância deste movimento, para que tenhamos 100% de adesão e o importante apoio da população.
        Também aprovaram que a Diretoria está autorizada a convocar imediatamente os associados, antes de 08 de março, caso os governos federal ou municipal coloquem as reformas em votação. E que o SINPEEM buscará a unidade com outras entidades representativas dos profissionais de educação e dos demais servidores municipais para construir uma grande paralisação em 08 de março.
O presidente do SINPEEM, Claudio Fonseca, lembrou que o SINPEEM sempre foi, é e sempre será um sindicato combativo, estando sempre à frente das principais lutas contra mudanças prejudiciais aos trabalhadores, nos mais diferentes governos. “Esta luta contra as reformas não é somente do SINPEEM. É uma luta de todo o funcionalismo e dos trabalhadores em geral. A tramitação da reforma da Previdência de Temer está suspensa em função da intervenção federal no Rio de Janeiro e deve ficar para o próximo governo. Em São Paulo, o Projeto de Lei nº 621/2016, que institui o Regime de Previdência Complementar e cria a Sampaprev, começará a tramitar nas Comissões da Câmara Municipal na próxima semana”, explicou o presidente.
        “Não podemos permitir a aprovação destas reformas, que retiram direitos dos trabalhadores. Os servidores municipais não vão engolir as mudanças pretendidas pelo governo Dória. Vamos nos mobilizar, construir o debate com as demais categorias. Não é hora de divisão, é hora de união para derrotarmos a reforma de Temer e o reajuste de 11% para 14%, pretendido por Dória”, completou.

 

Paralisação no dia 19/02 contra a PseudoReforma da Previdência

Paralisação no dia 19/02 contra a PseudoReforma da Previdência

No dia 19/02 houve diversas paralisações Brasil afora. Creio que a mídia bandida não tenha divulgado ou tenha divulgado com pouca abrangência ou com meias-verdades ou até distorções. Em diversos pontos do país, os trabalhadores se mobilizaram para protestar e mostrar que são contra a PseudoReforma da Previdência proposta pelo presidente temer. Proposta que tem por finalidade penalizar os trabalhadores e suavizar as dívidas dos empresários.

Se alguns ainda não sabem, a proposta prevê o aumento de tempo de contribuição para aproximadamente 49 anos. Atualmente não passa de 35. Querem aumentar também a idade mínima de aposentadoria de 60 para homens e 55 anos para mulheres para 70 para ambos. Ainda não há um tempo certo porque a medida que os protestos acontecem e as negociações ocorrem no Congresso, há mudanças.

Alegam que as reformas são necessárias porque há um déficit nas contas. Se há, pode ser porque muitos grandes empresários não pagam sua parte na dívida. Nós, trabalhadores, pagamos. Então não devem cobrar de quem paga, devem cobrar de quem não paga. Além disso, Segundo a Anfip ( Agência Nacional de Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil) o rombo divulgado é resultado de manipulação de números.

Vídeo da Anfip afirma que rombo da Previdência é farsa

Protestos contra a reforma da Previdência fecha agências bancárias

Dia de paralisação contra Reforma da Previdência começa com protesto na BR-101

Santo André e Guarulhos, na Grande SP, têm paralisação de ônibus nesta segunda

Paralisação mobiliza manifestantes em SC

A votação da reforma deve ficar para depois das eleições. O ideal seria que a derrubássemos de uma vez por todas, pois ela tem efeito muito nocivo contra os trabalhadores. O governo federal, o ilegítimo temer, já articula o adiamento. Entretanto, não podemos dar trégua a esse senhor e seus aliados. Eles têm firme propósito de jogar a conta nas nossas mãos para pagarmos. Temos que ficar atentos sempre. A estratégia consiste de votar depois da eleições para que os seus aliados fiquem livres para votar a favor das reformas.

A nossa estratégia de defesa é não votar em quem vai ser favorável à reforma. Temos que ter bem guardada uma lista dos nomes dos aliados da reforma para não votarmos neles nas próximas eleições. Precisamos fazer uma limpeza no Congresso e tirar de lá os inimigos dos trabalhadores, os amigos das grandes empresas devedoras.

Aqui em São Paulo, diversos sindicatos levaram seu protestos pra ruas e colocaram milhares de trabalhadores nas ruas para dizer não à PseudoReforma. Não sei se vocês viram algo nas tevês. Eu estive no viaduto do Chá, onde o SINPEEM (Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo) protestou contra as reformas de Temer e de Dória. O prefeito quer aumentar a contribuição previdenciária dos funcionários públicos do município de São Paulo de 11% para 14%  ou mais.Depois do protesto na sede da prefeitura, os trabalhadores da Educação seguiram em direção à Avenida Paulista pra se juntar aos milhares de trabalhadores de outros sindicatos para juntar forças para derrubar as maldades de Temer contra os trabalhadores.

Foi sem dúvida um dia muito importante e vitorioso porque conseguimos nos mobilizar e participar de mais uma batalha contra a reforma. Ainda há muito por fazer, mas temos disposição e garra para lutar. Vamos continuar nossa trajetória de luta e conquistas. Quem ficar de fora pode perder o trem da História e seus direitos.

 

Tudo que quero – Trailer Oficial

Filme parece interessante, quero vê-lo!!!

CAVALEIROS E SILVIO SANTOS?

Momento marcante do programa do Silvio Santos.

Em desfile das campeãs, “Temer vampiro” não levou a faixa presidencial

Em desfile das campeãs, “Temer vampiro” não levou a faixa presidencial

Protestos políticos voltaram à Sapucaí na noite deste sábado

Destaque que representava o ilegítimo temer perdeu a faixa presidencial no desfile da campeãs

Novamente, os protestos aconteceram na passarela do Samba na noite de sábado, dia 17. A Paraíso do Tuiuti, vice-campeã, protestou contra as reformas trabalhistas, questionou as manifestações que levaram ao impeachment de Dilma Roussef , o golpe do ilegítimo temer vampiro e seus ataques aos direitos duramente conquistados ao longo dos anos.

A Mangueira entrou na passarela protestando contra o atual prefeito do Rio, Marcelo Crivela, vestido de Judas. Um integrante da escola trazia um boneco, coberto por um saco preto com os dizeres ” Olhai por nós, o prefeito não sabe o que faz”, representando Jesus. Era uma alusão ao Cristo mendigo de Joasinho Trinta, alegoria proibida de participar do desfile em 1989.

Beth Carvalho participou do desfile em um carro alegórico que representava a Igreja da Candelária, na avenida Presidente Vargas, onde ocorriam os antigos desfiles de Carnaval.

Mensagens políticas de descontentamento e revolta contra uma série de in justiças que vêm ocorrendo no país foram mostradas durante os desfiles. Houve também manifestações entre os componentes das escolas. Eles ergueram placas com críticas ao ilegítimo temer e Crivella, tido como inimigo do Carnaval.

Um placa com os dizeres ” intervencão é golpe” circulou no sambódromo para protestar contra a intervenção federal na segurança pública.