Arquivo mensais:abril 2014

O adventista – Camisa de Vênus

O adventista – Camisa de Vênus

aumenteO Adventista – Camisa de Vênus

Eu acredito no bem e no mal
Eu acredito no imposto predial
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito nos livros da estante
Eu acredito em Flávio Cavalcante
Eu acredito, eu acredito
Não vai haver amor neste mundo nunca mais

Eu acredito no seu ponto de vista
Eu acredito no partido trabalhista
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito em toda essa cascata
Eu acredito no beijo do papa
Eu acredito, eu acredito
Não vai haver amor neste mundo nunca mais

eu acredito em quem anda com fé
Eu acredito em Xuxa e em Pelé
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito na escada pro sucesso
Eu acredito na ordem e no progresso
Eu acredito, eu acredito
Não vai haver amor neste mundo nunca mais

Eu acredito que o amor atrai
Eu acredito em mamãe e papai
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito no Cristo que padece
Eu acredito no INPS
Eu acredito, eu acredito
Não vai haver amor neste mundo nunca mais

Eu acredito no milagre que não vem
Eu acredito nos homens de bem
Eu acredito, eu acredito

Eu acredito nas boas intenções
Mas este papo já encheu os meus culhões
Eu não acredito, eu não acredito

Fontes: Uol Tecnologia, Letras.mus.br e Youtube

 

 

 

 

 

Animação brasileira “O Menino e o Mundo” competirá no Festival de Annecy

Animação brasileira “O Menino e o Mundo” competirá no Festival de Annecy

Em "O Menino e o Mundo", de Alê Abreu, garoto que sofre com a falta do pai parte em sua busca. Na jornada descobre aos poucos a realidade que o circunda, um mundo fantástico dominado por máquinas-bichos e estranhos seres, revelando um olhar ingênuo diante de questões existenciais, culturais e políticas em um mundo globalizado

Em “O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu, garoto que sofre com a falta do pai parte em sua busca. Na jornada descobre aos poucos a realidade que o circunda, um mundo fantástico dominado por máquinas-bichos e estranhos seres, revelando um olhar ingênuo diante de questões existenciais, culturais e políticas em um mundo globalizado

 O Festival de Annecy, o maior de animação do mundo, anunciou nove filmes na competição e nove fora da competição. A animação brasileira “O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu, está competindo pelo prêmio principal do evento francês que acontece desde 1960.

Mais dois brasileiros aparecem também fora da competição: “Até que a Sbórnia nos Separe”, de Otto Guerra e Ennio Torresan Jr. e “Luz, Anima, Ação”, de Eduardo Calvet.

Ano passado, o Brasil levou o principal prêmio do festival, com a animação “Uma História de Amor e Fúria”, estreia do roteirista Luiz Bolognesi na direção. Em 2013, também foi a primeira vez que o país foi selecionado para a competição.

Escrito, dirigido e montado por Abreu, o longa acompanha a jornada do Menino à procura do pai que saiu de casa em busca de melhores condições de vida para a família.

É um filme, claro, para o público infantil –mas não apenas. Há o lúdico, o ingênuo e engraçado, que vai falar direto às crianças. Mas é também um filme político, pois na trajetória do protagonista atravessam-se os diversos estágios que o capitalismo conheceu ao longo dos séculos.

O enredo começa com a família morando numa pequena fazenda, onde plantam para consumo próprio. O Pai, a Mãe e o Menino vivem uma vida simples, mas repleta de carinho e música.

Quando surge a ideia de produção –que envolve patrão e empregado– esse pequeno paraíso desaba. A ida do Pai para a cidade é um sintoma da industrialização, do trabalho assalariado, da mecanização e repetição do gesto de trabalho, e, também, do aumento da exploração.

Fonte: Uol Entretenimento Cinema

De volta ao planeta dos macacos – Daniel Alves e a banana

De volta ao planeta dos macacos – Daniel Alves e a banana

 

Daniel Alves, Brasileiro do Barcelona (Espanha), comendo banana

Daniel Alves, Brasileiro do Barcelona (Espanha), comendo banana

Lá fora,
Todos os corações procuram a sua órbita
Novas propostas pro mundo
Novos encaixes pras coisas
Que ainda não estão no lugar
Atento às diversidades
Em busca da chacrete espacial
É preciso provar das loucuras
Ativar novas possibilidades
De volta ao Planeta dos Macacos Continue lendo

Ídolo peitou Pinochet e diz que Fifa nunca reconhecerá ‘jogo da vergonha’

Ídolo peitou Pinochet e diz que Fifa nunca reconhecerá ‘jogo da vergonha’

Carlos Caszely teve a mãe torturada pela ditadura e foi ícone da resistência contra Pinochet no Chile

Carlos Caszely teve a mãe torturada pela ditadura e foi ícone da resistência contra Pinochet no Chile

Poderia até ser um lance antológico, afinal foram 13 toques em menos de 30 segundos em uma linha de passe, logo na saída de bola, em um dos mais rápidos gols dos embates entre seleções nacionais. Na verdade, porém, tudo não passou de uma encenação patética, na partida que classificou o Chile para a Copa de 1974 em episódio que recentemente completou 40 anos.

No jogo em questão, a União Soviética se recusou a disputar o segundo confronto da repescagem da Copa no estádio Nacional de Santiago, então improvisado como local de torturas na ainda incipiente ditadura de Augusto Pinochet. A Fifa (Federação Internacional de Futebol) ignorou os protestos, autorizou o confronto após uma vistoria protocolar e acabou carregando para a posteridade um dos capítulos mais sombrios de sua história. Continue lendo

Ósculo oculto

Ósculo oculto

Ósculo oculto

 Tudo terá valido a pena

Você passou em casa como eu sempre sonhara.
Viu com seus olhos sorridentes
Os versos que eu fiz inspirados por você.
Reconheceu os sonhos que vivemos,
Viagens fantásticas no paraíso.

Versos coloridos em grafite único,
Construídos em Roma.
Agora sou feliz.
Minha vida é boa.
Ontem conheci você.
Reconheci seu coração e apaixonei-me.

Na década passada éramos apenas conhecidos.
Na década atual somos mais que amigos.
No ano passado quase me revelei,
Quase entreguei meu coração,
já pertence a você há tempo.

Na semana passada planejei sequestrar você.
No dia de ontem quase rompemos.
Hoje não sabemos.
Amanhã entenderemos.

Depois de amanhã mesmo que tudo passe,
mesmo que tudo seja esquecido,
mesmo que tudo seja perdido,
tudo terá valido a pena.

O amor jamais perecerá.
Reescreveremos felizes
os capítulos que foram tristes.
O amor transpassará as portas do infinito.