Arquivo mensais:outubro 2015

31 de outubro é Dia do Saci

31 de outubro é Dia do Saci

Isadora Otoni

Para Chico Nunes, professor de Filosofia da Faculdade Cásper Líbero, a figura do folclore nacional representa a resistência dos setores mais humildes e também uma resistência da cultura brasileira

Para a maioria dos brasileiros, a principal comemoração do dia 31 de outubro é o Halloween. Menos para aqueles que defendem a cultura nacional em detrimento da estrangeira. Para eles, o último dia do mês é reservado para o Dia do Saci, figura folclórica brasileira que perdeu seu valor nas grandes metrópoles. Entretanto, grupos como a Sociedade dos Observadores de Saci (SOSACI) e a Associação Nacional dos Criadores de Saci (ANCS) buscam manter o Saci na memória.

Chico Nunes, professor de Filosofia da Faculdade Cásper Líbero e membro do SOSACI, coordena duas iniciativas inusitadas para resgatar a figura do Saci em São Paulo. No dia 30, com auxílio do jornalista esportivo Celso Unzelte, ele faz uma partida de futebol de um pé só na quadra da Faculdade Cásper Líbero. Para o dia seguinte, ele promove a “Saciata”, uma passeata de um pé só atravessando a Avenida Paulista, saindo do prédio da Gazeta e indo até a entrada da FNAC.

Chico explicou à Fórum a importância do Saci, mostrando que sua figura não só representa a resistência dos setores mais humildes, mas também uma resistência da cultura brasileira.

Fórum – Qual a importância do resgate da figura do Saci?

Chico Nunes– A cultura do Saci mostra como o povo, principalmente os setores mais humildes da população, constroem formas de resistência diante de vários processos, sejam eles de exploração da condição de trabalho, seja da discriminação social, mas também com relação à supervalorização de elementos da cultura estrangeira em detrimento da cultura popular brasileira. Aqueles que reverenciam a cultura do Saci o adotam como símbolo em referência à resistência popular.

Fórum – A preferência da cultura estrangeira em detrimento da brasileira pode ser explicada pela globalização?

Chico – Então, os adeptos ao movimento do Saci não são xenófobos. Não há um ódio à cultura estrangeira, mas considerando a globalização, assim como o Halloween vem pro Brasil, a gente gostaria que o Saci fosse para os Estados Unidos e pra Europa. O problema é que a atual globalização é uma globalização de mão única, a gente apenas recebe o entretenimento de fora sem que haja um intercâmbio.

Fórum – Como surgiu a Saciata?

Chico – [Risos] A Saciata fui eu quem criei aqui em frente ao prédio da Gazeta. Depois da criação dos Observadores de Saci há 11 anos em São Luiz do Paraitinga, entrei em contato com vários amigos, o Vladimir Sacchetta, o Mouzar Benedito, e aí eu pensei em criar alguma coisa aqui em São Paulo. Além da Saciata, temos o Futebol do Saci e a exposição de artes referentes à cultura do Saci, entre outras atividades variadas ao longo desses dez anos. Mas sem dúvida a Saciata é a que mais desperta a curiosidade das pessoas, porque a gente atravessa a avenida na frente da Gazeta pulando de uma perna só e com um gorrinho.

Tive um aluno da Cásper [Líbero], o Henrique, que é de Botucatu, onde tem a Associação Nacional dos Criadores de Saci. Ele um dia me trouxe um Saci, e pra quem não sabe o Saci nasce no terceiro gomo do bambu brotando de baixo pra cima, naquele cabo grosso chamado Taquaruçu, então quando o bambu está amadurecendo a gente abre e solta o Saci. O meu eu soltei lá no Parque Trianon.

Fórum – E qual é a personalidade do Saci?

Chico – De um modo geral, ele se expressa como um adolescente muito travesso. Com os amigos ele faz mais brincadeira, mas com as figuras que são mais prepotentes e arrogantes ele comete travessuras maiores. Pela tradição, ele costuma amarrar a crina do cavalo, o que aparentemente é um castigo para o cavalo. Mas não é. Às vezes amarrava a crina para servir como estribo para colocar o pé e poder cavalgar. Ele também derrubava os homens do cavalo, porque no período colonial só tinha cavalo quem era fazendeiro e poderoso, por isso ele cometia esse tipo de estripulia. Talvez ele faça isso com alguns carrões poluentes que ocupam espaço na via pública, ou com algum carro que sirva para reprimir manifestações legítimas da população. O Saci hoje é quase um Saci online, que já está no século 21 e acompanha todo o avanço da sociedade.

 

Fonte: Revista Fórum e Youtube

Hotel de ‘O Iluminado’ pode se tornar o primeiro museu de filmes de terror do mundo

Hotel de ‘O Iluminado’ pode se tornar o primeiro museu de filmes de terror do mundo

TheShinning

A região de Estes Park, no Colorado, EUA, pode abrigar em breve o primeiro museu do mundo totalmente dedicado a filmes de terror. O projeto terá sede em um local icônico para os fãs do gênero: o hotel Stanley, que serviu de inspiração para o livro “O Iluminado”, de Stephen King, e locação para o filme de Stanley Kubrick.

TheShinning2

A notícia é da revista Rolling Stone, que revela que o projeto de reformulação do hotel já foi finalizado sob o nome de “Stanley Film Center”. A proposta é de que o local reúna inúmeras atrações, além de um auditório para 500 pessoas, uma área educativa e um instituto educacional.

TheShinning3

O conselho fundador do projeto é composto por nomes como Elijah Wood, Simon Pegg e George A. Romero. Eles agora buscam um investimento de US$ 24 milhões para tirar o planejamento do papel. “Eu adoraria ter um lugar onde pudesse ir para celebrar com fãs de todo o mundo. Realmente não existe lugar melhor para ser um lar permanente de celebração do horror como arte. O Stanley Hotel foi praticamente construído para isso”, falou Elijah Wood.

TheShinning4

De acordo com a revista, o proprietário do hotel, John Cullen, também está entusiasmado com o projeto. “O Stanley Film Center é a minha chance de devolver aos milhões de fãs de horror ao redor do mundo todo o apoio que eles têm dado a Estes Park e ao hotel durante tantos anos”, disse.

Fonte: Catraca Livre

Saiba os sintomas e como prevenir crises de ansiedade e estresse

Saiba os sintomas e como prevenir crises de ansiedade e estresse

Ansiedade e estresse são dois sentimentos que hoje afetam os jovens de até 30 anos. Mas você sabe os sintomas, as diferenças entre os dois e como prevenir as crises? O site ‘Minha Vida’, parceiro do Catraca Livre, explica.

Sintomas como falta de ar, nervoso, confusão mental, aceleração do batimento cardíaco sem uma causa física podem caracterizar uma crise de ansiedade ou estresse. Enquanto o estresse é acumulativo, ou seja, vai acumulando-se com o tempo, a ansiedade está relacionada com a expectativa, com a espera.

Como prevenir as crises de estresse e ansiedade em pessoas cada vez mais novas?

Autoconhecimento e respeito aos próprios limites fazem parte do processo

Dr. Persio Ribeiro Gomes de Deus – Psiquiatria – CRM 31656/SP

No mundo contemporâneo é muito comum jovens de até 30 anos terem crises de ansiedade e estresse. A sociedade atual, gerida pela economia de mercado onde o que importa é o lucro, faz com que para tal os jovens tenham que bater índices de produtividade cada vez mais elevados, além de se manterem atualizados num mundo de constantes transformações devido não só à globalização, mas ao crescente “boom” de informações.

Tais cobranças incidem sobre todas as idades, mas com mais intensidade sobre os jovens por terem mais energia e justamente por serem mais ingênuos em sua administração. Não é incomum vermos jovens cumprindo uma jornada de trabalho de mais de dez horas, e ainda se preocupando e se aprimorando em especializações, MBAs etc. Não percebem que reservam, quando raro, apenas quatro ou cinco horas para sono!

O cérebro encontra um limite e a partir dele começa a trabalhar em regime de estresse (entenda-se fadiga). O resultado é parecido com o de um computador: o cérebro fica lento, cansado, diminuindo a sua capacidade de “processamento” de informações.

Os sintomas

Sintomas como falta de ar, nervoso, confusão mental, aceleração do batimento cardíaco – entre outros – sem uma causa física podem, sem dúvida caracterizar uma crise de estresse ou ansiedade. Sem dúvida, estes são alguns dos sintomas que levam os portadores primeiramente ao pronto atendimento, pois estão convencidos de estarem apresentando um mal orgânico – provavelmente de origem cardiológica. E tal preocupação é verdadeira, pois o número de jovens estressados portadores de isquemias cardíacas (infarto) devido ao estado de tensão, que leva à uma contratura de toda a musculatura, inclusive a do coração, pode produzir independente de lesão nas artérias, um infarto.

Diferenças entre crise de estresse e ansiedade

A crise de estresse é cumulativa, ou seja, vai se acumulando com o tempo. O termo estresse vem da física, e significa submeter determinado material ao seu ponto máximo de esforço. É isso o que ocorre com o cérebro de diversos jovens. Eles trabalham numa velocidade de processamento de informações muito superiores ao que foram “formatados” pela natureza. Não existem “memórias auxiliares”, e tampouco aceleradores de velocidade. O cérebro encontra um limite e a partir dele começa a trabalhar em regime de estresse (entenda-se fadiga). O resultado é parecido com o de um computador: o cérebro fica lento, cansado, diminuindo a sua capacidade de “processamento” de informações.

Ansiedade está relacionada com expectativa, com espera. A sociedade atual igualmente nos leva a inúmeras expectativas para as quais ela mesma não tem resposta. Um exemplo é que as dez profissões mais importantes dos próximos anos ainda não têm cursos para formar os profissionais para atendê-las. Outra explicação advém da compreensão sobre os dinamismos da ansiedade e angustia nos dias atuais. A angústia está relacionada com escolhas antagônicas, ou seja, com crises de escolhas. Cada vez mais nos deparamos com uma distância maior entre o que somos e o que realmente gostaríamos de ser, o que temos e o que gostaríamos de ter, resumidamente: o juízo de valor e o juízo de realidade que se mostram cada vez mais distantes.

Como prevenir as crises

Acredito que quem descobrir a resposta definitiva ganhará o prêmio Nobel. Um grande pensador e filósofo alemão, Heidegger nos deu um caminho: ele nos ensinou que a cada dia, imperceptivelmente, nos afastamos de nós mesmos. Somos lentamente influenciados por “coisas” que não são nossas, “verdades” que nos são colocadas por outros e que por elas nos deixamos guiar. Quando nos apercebemos e olhamos no espelho não nos reconhecemos mais! O segredo portanto, é nos buscarmos a cada dia, nos procurando sempre, validando a cada instante a “nossa” verdade. Não de maneira neurótica, mas num movimento de autoconhecimento construtivo.

A crise é um momento sério, pois pode ter consequências físicas e psíquicas. Então, a primeira providencia frente a uma crise é procurar um serviço especializado. Descartadas as possibilidades ou consequências orgânicas, deve-se buscar um especialista em ansiedade e estresse, como os psiquiatras e psicólogos.

Fonte: Minha Vida

Casagrande – Bola da Vez ESPN

Estou divulgando essa entrevista, pois eu achei ela muito interessante, por se tratar do Casagrande que é uma pessoa que admiro. Mas por expor coisas e experiências de sua vida pessoal, sua história de amizade com o Sócrates, seu problema com as drogas e seu começo de carreira como comentarista.

Engenheiro brasileiro diz como chegou ao Google e por que decidiu deixá-lo

Engenheiro brasileiro diz como chegou ao Google e por que decidiu deixá-lo

Fernanda Ezabela

ThiagoRobertThiagoRobert1ThiagoRobert2ThiagoRobert3ThiagoRobert4Fonte: Folha de São Paulo/Mercado