Arquivo mensais:julho 2016

Canção da América – Milton Nascimento

Canção da América – Milton Nascimento

” Amigo é coisa pra se guardar, debaixo de sete chaves,
dentro do coração, assim falava a canção que na América ouvi,
mas quem cantava chorou ao ver o seu amigo partir,
mas quem ficou, no pensamento voou, com seu canto que o outro lembrou
e quem voou no pensamento ficou com a lembrança que o outro cantou.
Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito,
mesmo que o tempo e a distância digam não…”

Fonte: Youtube

São João de Alceu traz seu arraiá para São Paulo

São João de Alceu traz seu arraiá para São Paulo

Comidas, bebidas e decorações típicas, além do show de Alceu Valença, encerram a temporada junina

Alceu31

Ainda tem mais perna pra pular a fogueira iá iá? Tem, né? Então vem dar o último suspiro de São João com ninguém mais, ninguém menos do que Alceu Valença!

No dia 31 de julho, a área no entorno do Obelisco, em frente ao Ibirapuera, recebe o São João de Alceu, pela primeira vez em São Paulo. O festão começa às 13h e vai até a hora que Alceu falar que acabou. A entrada é Livre.

O compositor e cantor Alceu Valença vem espalhar sua magia e dar um gostinho do verdadeiro São João de Pernambuco pelas ruas da nossa cidade, com homenagens a mestres como Dominguinhos e Luiz Gonzaga. Além de Alceu Valença muitas outras atrações estão programadas; fique de olho no evento do Facebook para ver as novidades.

E, é claro, sem falar nas comidas típicas de festa junina, food trucks com releituras das delícias desta época do ano, chapéu de palha, correio elegante e muito mais. Aliás, o traje junino é obrigatório, visse? Então se aprume todo/a e vá!

Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32
http://www.parqueibirapuera.org/index.html

Avenida República do Líbano, s/nº – em frente ao Parque do Ibirapuera
Ibirapuera – Centro – São Paulo – SP

Fonte: Catraca Livre

Festivais exibem filmes clássicos e raros em SP

Festivais exibem filmes clássicos e raros em SP

"Os Fantasmas se Divertem" (1988) na programação do Cinemini Nostalgia, no Sesc Pompéia

“Os Fantasmas se Divertem” (1988) na programação do Cinemini Nostalgia, no Sesc Pompéia

As férias estão chegando ao fim, mas não a temporada de blockbusters nos cinemas. Após um mês de julho com as salas tomadas por animações, grandes produções, como “Esquadrão Suicida”, devem ocupar boa parte da programação. Uma boa notícia para os fãs de aventuras e efeitos especiais, mas não para os cinéfilos mais afeitos a histórias que passam longe de Hollywood. O Guia UOL garimpou algumas novidades no circuito alternativo da cidade.

Latinos
O Festival Latino-Americano de Cinema de São Paulo, que nesta edição homenageia a cineasta Anna Muylaert, está nos últimos dias. Mesmo assim, ainda é possível ver, de graça ou a preços populares, alguns títulos inéditos  que dificilmente entrarão no circuito comercial. São longas como o documentário uruguaio “O Mundo de Carolina”, em que diretora e sua protagonista, portadora de Síndrome de Down, discutem como deverá ser conduzida a história; ou o guatemalteco “A Maior Casa do Mundo”, filme que mostra uma menina que vive nas montanhas enfrentando seus medos diante da natureza e, especialmente, do nevoeiro.

O encerramento, nesta quarta (27), será exibido “Estopô Balaio”, sétimo longa-metragem de Cristiano Burlan, do premiado “Mataram Meu Irmão” (2013), que faz pré-estreia no evento.

Veja a programação completa em www.festlatinosp.com.br.

Catalães, euskeras e galegos
O II Ciclo de Cinema Espanhol em Catalão, Euskera e Galego estreia na próxima quinta (28), no MIS, com a proposta de mostrar toda a diversidade do cinema espanhol e suas diferentes comunidades. São títulos como o catalão “Estella Cadente”, do cineasta Luís Miñarro, e “Donkey Xote”, de José Pozo, todos com legendas em português.

II Ciclo de Cinema Espanhol em Catalão, Euskera e Galego
28 a 31 de julho
Auditório MIS (Avenida Europa, 158, Jardim Europa)
R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia)
Mais informações: (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br

"O Grande Ditador", de Charles Chaplin, está em mostra sobre a ditadura

“O Grande Ditador”, de Charles Chaplin, está em mostra sobre a ditadura

Ditadura no cinema
De 02 e 30 de agosto, às terças, o Sesc Santana exibirá a mostra Punir: A ditadura no cinema. Serão exibidos, gratuitamente, os longas como o clássico “O grande Ditador”, de Charles Chaplin, e “O País de São Saruê”, documentário de Vladimir Carvalho, gravado no chamado Polígono da Seca, que ficou proibido de 1971 a 1979 pelos órgãos de censura da época. Ao término de cada sessão, o conteúdo apresentado é discutido por Luis Carlos Pavan, pesquisador de cinema e produtor cultural, e Careimi Ludwig Assman, mestre em comunicação e semiótica, e produtora cultural.

Mostra Punir: A ditadura no cinema
02 a 30 de agosto, terças, às 20h
Sesc Santana (Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Jd. São Paulo)
grátis
Mais informações: 0800-118220 ou pelo portal sescsp.org.br/santana

Cine Nostalgia
Pegando carona no sucesso de séries como “Stranger Things” e a onda nostálgica dos anos 80, o Cinemini Nostalgia, do Sesc Pompeia, exibe em agosto grandes clássicos infanto-juvenis dos anos 70 aos 90 para os pais assistirem junto aos filhos. Na programação, estão “E.T. – O Extra Terreste” (1982), de Steven Spielberg, “Os Fantasmas Se Divertem” (1988), de Tim Burton, “Gremlins” (1984), de Joe Dante, e “A Fantástica Fábrica de Chocolate” (1941), de Mel Stuart, que serão exibidos com dublagem em português.
Cinemini Nostalgia
de 13 a 28 de agosto, sábados e domingos,  12h
Sesc Pompéia (Rua Clélia, 93, Pompéia)
grátis (ingressos distribuídos com uma hora de antecedência)
Mais informações: sescsp.org.br/pompeia

Fonte: Uol Cinema

Música do dia “Wasting Love”

Finalizando o dia com essa canção do Iron Maiden!

Atirador mata nove e se suicida em shopping de Munique

Atirador mata nove e se suicida em shopping de Munique, diz polícia

"Gato em vez de violência" é a hashtag que está sendo usada pelos alemães após polícia pedir para que imagens das operações de busca de atiradores não fossem divulgadas nas redes sociais Alemãs

“Gato em vez de violência” é a hashtag que está sendo usada pelos alemães após polícia pedir para que imagens das operações de busca de atiradores não fossem divulgadas nas redes sociais
Alemãs

Um atirador matou ao menos nove pessoas na cidade alemã de Munique nesta sexta-feira (22) e depois teria cometido suicídio, informou a polícia local. Segundo a corporação, o responsável pelo ataque é um rapaz de 18 anos com nacionalidade alemã e iraniana. Pelo menos 21 pessoas ficaram feridas, sendo que 16 estão internadas, três delas em estado grave.

Segundo o chefe da polícia de Munique, Hubertus Andrä, o incidente teve início em uma filial do McDonald’s anexa ao shopping center Olympia, nos arredores do estádio olímpico de Munique. Depois, o atirador entrou no centro comercial. Um corpo, que seria o do criminoso, foi encontrado nos arredores do centro comercial.

De acordo com Andrä, o suspeito era morador de Munique há pelo dois anos. Ao contrário dos relatos de testemunhas feitos mais cedo, o atirador usou uma pistola, e não uma arma de cano longo. Questionado sobre quantos tiros foram disparados e o tipo de arma usada, Andrä disse que, como a investigação está em andamento, a polícia não divulgaria estas informações.

Mais cedo, autoridades buscavam três atiradores. Segundo Andrä, duas pessoas vistas deixando o local dos ataques em um veículo inicialmente foram consideradas suspeitas, mas foram descartadas com base nas imagens de câmeras de segurança. A polícia acredita que o atirador agiu sozinho.

‘Não sei se meu filho está vivo ou morto’

Segundo o chefe de polícia, os nomes das vítimas só serão divulgados depois que as famílias forem avisadas sobre as mortes. Há adolescentes entre os falecidos e crianças entre os feridos.

Entre os que buscavam informações sobre vítimas estava a família de Souleyman Daitzik, que visitou quatro hospitais em busca de informações sobre seus filhos, uma menina e um menino. Eles foram ao shopping no começo da tarde, antes do início do tiroteio. A jovem apareceria nas imagens no tiroteio no McDonald’s vestindo uma blusa vermelha e correndo, afirma a família. O menino foi baleado, e a família tenta descobrir o seu estado. “Não sei nem se meu filho está vivo ou morto”, afirmou Daitzik ao “New York Times”.

A polícia disse não conseguir confirmar, no momento, a veracidade dos relatos de que o atirador teria gritado “Eu sou alemão” durante o ataque, e pediu para que os cidadãos enviem vídeos do momento à corporação. Autoridades estimam que mais de 100 pessoas tenham testemunhado o tiroteio. Continue lendo