Arquivos da categoria: Poema

Poema, poesia, prosa.

Os dias eram assim?

Os dias eram assim ?

Qual seu nível de preconceito?

O que você sente quando vê um negro?

O que você pressente quando vê um pobre?

O que seus olhos veem quando você caminha na Praça da Sé, no Parque Dom Pedro, na periferia?

Quando é que você se sente inseguro? Seguro?

Quando é que você vê sentido no muro?

Quem é você quando está no meio do caos?

Por que é que as ruas dos playboys têm menos buracos?

Onde você estava quando Brasília pegou fogo?

Aécio! Temer! Gilmar Mendes! Cunha!

Quais foram seus crimes?

Quem pagou a propina?

Quem são seus advogados?

Quem matou Lucas Arcanjo?

Quem matou o Teori?

Quem matou Sérgio Moro?

Qual seu nível de manipulação global?

Como você separa alhos de bugalhos?

Qual bandido morto é bom?

Os dias são bons.

Pena que alguns dias chove e faz frio.

Justiça é bom, mas tem dias que condena antes do fim do processo, sem provas,

mas com muita convicção.

A Justiça tem um peso e duas medidas.

Medidas mansas aos amigos…

Medidas pesadas aos inimigos.

Qual seu nível de consciência?

Com quantos paus se faz uma canoa para o paraíso?

Poesia Cretina

Poesia Cretina

Eu odeio aquela pessoa!

Eu odeio essa música!

Eu odeio essa roupa!

Eu odeio esse time!

Eu odeio falar sobre isso!

Eu odeio essa coisa!

Eu odeio chuva!

Eu odeio sol!

Eu odeio fazer isso!

Por que cultivo este sentimento tão feio?

Por que não tolero os diferentes?

Por que não entendo outras vozes?

Por que cultivo esses ódios?

Por que acreditamos em mentiras?

Por que aceitamos agir com injustiça?

Por que existem dúvidas?

Onde estão as respostas?

Qual o caminho pra felicidade?

Para onde vai este ônibus?

Quem está neste cemitério?

Quem são estas moças na calçada?

Por que estou escrevendo isso?

Thanks, Leonard Cohen! See you, great poet!

Thanks, Leonard Cohen! See you, great poet! (* Sept 21 1934 + Nov 07 2016)

I did my best Eu fiz o meu melhor
it wasn’t much não foi muito
I couldn’t feel Eu não podia sentir

so I learned to touch então eu aprendi ao tocar

I’ve told the truth Eu disse a verdade

I didn’t come to fool you Eu não vim pra enganar você

And even though E embora

it all went wrong fosse tudo errado

I’ll stand before eu ficarei antes antes

the Lord of Song  do Senhor da canção

with nothing on my tongue sem nada na minha língua

but Hallelujah mas Aleluia

novembroazul

Que País é este?

Que País é este?

pecnao

Que povo é este que não entende o básico do golpe?

Que povo é este que não se percebe manipulado pelas Comunicações Globais?

Televisões! Jornais! Revistas! MENTIROSOS!

ANOS 60 ESTÃO DE VOLTA!

Conservados em formol, mas eficientes ainda! Endireitados à força!

Que povo é este que condena inocentes e liberta seus algozes?

Que povo é este que protege seus patrões exploradores?

Que povo é este que acredita em boatos e não cobra provas?

Que povo é este que não percebe que os casos violentos na tv fazem crer que tudo é caos e vira motivo pra sermos enganados e roubados?

Criam o Caos para tirar nossos direitos, para negar nossas vontades,

para levar nossas riquezas…

temers! bolsonaros! crivellas! MANIPULADORES!

Inventam necessidades supérfluas para vender ostentação.

Inventam doenças sem cura para vender falsos remédios.

Que povo é este que produz riqueza pra meia dúzia de privilegiados?

Que povo é este que grita por Justiça mas acredita em falsos moros?

Safados! Mentirosos! Enganadores!

Vocês querem salvar seus bolsos, suas terras, seus bilhões!

novembroazul

Amizade e oposição: oposições de uma amizade

Amizade e oposição: oposições de uma amizade

Henrik Beck e Elton Carlos

Eu acho que sou amigo do meu lado oposto.

Pode ser que seja verdade, temos muitos pensamentos divergentes.

Eu olho no espelho e às vezes não gosto do que eu vejo.

Do que eu não gosto? O que me faz sentir estranheza?

 

Talvez você me entenda quando ficar um pouco mais jovem.

Como posso ser mais jovem se envelheço a cada dia?

Talvez se voltássemos os ponteiros do relógio nossa pele voltaria a ser mais lisa.

Sendo lisa ela viria com a sabedoria do tempo ou perderíamos tudo na volta?

Ganharíamos a nossa inocência e voltaríamos a ver o mundo em tons de pureza.

Pode ser que a inocência tenha que ser perdida no próprio caminho de ida.

 

Sinto-me perdido mas atraído por um ímã que me puxa para o meu lado oposto.

Todos nós nos sentimos perdidos em alguns trechos desta estrada.

Esta estrada nunca me levou a lugar nenhum, nem mesmo para a praia.

Será que o meu lado oposto pode me levar a algum lugar? Será que posso seguir sem medo?

Haverá alguém para me mostrar o caminho correto? Haverá alguém para me salvar se eu errar?

Não sabemos exatamente o caminho correto, mas podemos seguir a quem confiamos.

O correto pode ser aquilo que tenha justiça, que traga paz à mente.

 

Um ímã não precisa olhar para identificar se um objeto é um metal ou não, ele apenas toma a sua decisão.

O que ele segue? Instintos? Ordens? Consciência? Inteligência ou negligência?

As leis da Física apenas impuseram esta tomada de decisão, mas até hoje isto é um mistério.

Não tem mistério, não tem ficção, não tem imposição.

Então por que um lado de um ímã é sempre obrigado a atrair o seu lado oposto?

Por que não o de mesma polaridade?

 

A vida é diferente da ciência exata, a vida é inexata, ela é imprecisa.

Como seria então se pudéssemos mensurar sentimentos, emoções, shows do Roberto Carlos?

Eu mediria com cuidado, eu me acabaria em shows do AC/DC e dos Stones.

Sentimentos têm medidas próprias, cores peculiares, intensidades inimagináveis.

Será que a vida tem algum preço? Será que temos que pagar por ela?

E onde está esta tal de liberdade? Ela anda por aqui?

 

O preço da vida, uma hora estipulamos, outra hora somos obrigados a pagar.

A liberdade é um trem cheio que nos conduz ao fim do túnel,

cheio de alternativas, cheio de mistérios, cheio de obstáculos, cheio de tudo.

Tudo que é bom, tudo que é ruim, tudo que temos pra viver.

Será mesmo que os opostos se atraem? Será que esta Lei da Física serve pra Vida?

 

Se eu voto num partido, você vota no outro.

Se eu torço pro Palmeiras, você torce pro Corinthians.

Se eu disser que sou fluminense, você vai ser flamenguista.

Se eu quiser ir no McDonald’s, você vai querer ir ao Habbib’s.

Se eu quero comer Pringles, você vai querer comer Ruffles.

Se eu quero ir pra Croácia, você vai querer ir pra Sérvia.

Se eu disser Inglaterra, você dirá França.

Se eu vestir o uniforme da Argentina, você vestirá o do Brasil.

Se eu torcer pro River, você torcerá pro Boca.

Se eu prefiro o Real, você preferirá o Barcelona.

Se eu gostar de matemática, você vai gostar de português.

Se eu escolher o X-Box, você vai escolher o PlayStation.

Se eu disser que sou um capitalista generoso, você dirá que é um socialista do mal.

Se eu gritar gol, você gritará que estava impedido.

Mas no final, nós dois xingaremos o juiz e a sua mãe,

Só para não rompermos com esta velha tradição mesmo.

 

Enfim… acho que a amizade é como um ímã,

ela atrai nossos amigos com adjetivos opostos aos nossos.