Arquivo da tag: circo

GUILHERME AWAZU APRESENTA NOVO NÚMERO DE CIRCO COM ACROBACIAS E DANÇA

O artista circense Guilherme Awazu apresenta seu novo projeto em diversos espaços de São Paulo e ABCD. Com o projeto “B – STilt” o artista surpreende o público com um número de circo, em formato intervenção, que utiliza a Perna de Pau e danças urbanas como o Hip Hop e Breakdance. Ótima oportunidade de conhecer este projeto que eleva o patamar de pesquisa na técnica da Perna de Pau.

Artista Guilherme Awazu – Foto: Jennifer Glass

Continue lendo

Trupe Dunavô apresenta É mesmo uma Palhaçada no Auditório Ibirapuera

No dia 04 de Julho, uma das maiores revelações do Teatro Infantil e Jovem dos últimos anos, a Trupe Dunavô, realiza duas apresentações do espetáculo É mesmo uma Palhaçada, no palco do Auditório do Ibirapuera!

Espetáculo É mesmo uma Palhaçada – Foto: Julio Leão

Continue lendo

Trupe Dunavô apresenta espetáculo de graça no SESI São Bernado

Nos próximos dias, a Trupe Dunavô se apresenta no SESI São Bernardo como parte da programação do projeto Viagem Teatral SESI 2017. Com o espetáculo É mesmo uma Palhaçada, o grupo diverte adultos e crianças com uma montagem que faz referência à memória do circo e promove um grande encontro de gerações! Ótima oportunidade de conhecer o trabalho desta trupe que vem encantando o público por onde se apresenta!

GRÁTIS – ESPETÁCULO “É MESMO UMA PALHAÇADA” RELEMBRA CLÁSSICOS DO CIRCO

Nos dias 23 e 24 de junho, a Trupe Dunavô, formada por Renato Ribeiro, Vinicius Ramos, Gis Pereira e Gabi Zanola, apresenta o espetáculo É mesmo uma Palhaçada no SESI São Bernardo do Campo. As apresentações fazem parte do projeto Viagem Teatral 2017, realizado pelo SESI-SP. Além da cidade de São Bernardo do Campo, o grupo já se apresentou nas cidades de Itapetininga, Piracicaba, Marília, Osasco, Santos, Mogi das Cruzes, Araraquara e Franca.

Demonstrando às crianças números de palhaços de circo tradicionais e proporcionando aos adultos um momento de lembranças de vivências da infância, o grupo convida a todos para uma verdadeira imersão na linguagem circense, de forma divertidíssima!

“Notamos que para muitas crianças este é o primeiro contato com aquelas cenas, muitas vezes tão antigas, que se mantém e que perpassam por muitos anos. E o mais importante é perceber que estas cenas continuam fazendo sentido! Para nós é uma imensa alegria unir as gerações e ver o resultado”, comenta Gabi Zanola, integrante da Trupe.

O espetáculo “É mesmo uma Palhaçada”, traz a divertida história de três palhaços, que chegam para se apresentar e descobrem que estão no lugar errado. Em meio a essa grande confusão, os palhaços tentam consertar a situação, disfarçar o ocorrido e entreter os espectadores com suas ideias mirabolantes, porém muito atrapalhadas. Através de suas maravilhosas habilidades, eles provocam inúmeras situações inusitadas, mas as coisas não acontecem como o esperado e é aí que a brincadeira começa.

Com números clássicos de palhaçaria circense, mesclado às cenas de autoria do grupo, brincando entre o novo e o já consagrado pelos mestres do picadeiro, a trupe diverte o público e garante boas risadas.

Com o espetáculo “É mesmo uma palhaçada” a Trupe DuNavô  se apropria da linguagem circense em seu caráter lúdico estimulando a imaginação dos espectadores – sejam eles crianças ou adultos – de forma acolhedora e generosa, sem a mínima distinção. Dessa forma, promovem um verdadeiro resgate da memória do circo, valorizando a cultura popular, relembrando clássicos e convidando o público a reviver os grandes e tradicionais circos do passado.

Além deste trabalho, a Trupe Dunavô tem em seu histórico uma aclamada temporada no Centro Cultural São Paulo no ano de 2015, quando surpreendeu a todos com uma delicada fábula chamada Refugo Urbano, que arrebatou o público, esgotando ingressos na Sala Jardel Filho (a maior do Centro Cultural São Paulo, com cerca de 320 lugares). Nessa temporada de estreia de seu primeiro espetáculo totalmente autoral, atraiu também os olhares da crítica especializada, recebendo duas indicações para o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem, nas categorias Melhor Atriz (Gabi Zanola) e Prêmio Sustentabilidade, categoria com a qual foi premiado. Em uma votação especial, organizada para escolher os melhores do ano, o espetáculo foi ainda eleito pelos leitores do Guia Folha como Melhor Espetáculo Infantil do Ano de 2015.

A Trupe Dunavô tem como base de sua pesquisa a linguagem do palhaço. Durante sua trajetória, o grupo vem realizando diversos experimentos, fazendo referência à memória do circo ou inovando e levando a linguagem do palhaço para espaços fora do convencional. Com seus três projetos (Refugo Urbano, É mesmo uma Palhaçada e O Livro do Mundo Inteiro) a trupe vem apresentando o palhaço ao público em suas diversas vertentes. Em 2016 a Trupe realizou temporada do espetáculo “Refugo Urbano” no Espaço dos Parlapatões e SESC Itaquera, participou do Festival Nacional de Teatro de Jales e do XII Festival Nacional de Teatro de Limeira. Fez parte da programação do Circuito SP de Cultura com “Refugo Urbano” e “É mesmo uma Palhaçada”, se apresentando em diversos espaços importantes da cidade de São Paulo. Foi convidada para integrar a programação do maior festival de humor do mundo: o Festival Risadaria, apresentando dois de seus espetáculos “É mesmo uma Palhaçada” e “O Livro do Mundo Inteiro” (espetáculo de improviso onde a trupe convida o publico a escrever uma história nova a cada dia de espetáculo), que tiveram enorme repercussão junto ao público do Festival. Participou do Circuito Cultural Paulista (APAA-Associação Paulista de Amigos da Arte) e do Festival Paulista de Circo com o Espetáculo “É mesmo uma Palhaçada”, além de circular por diversas unidades do SESC de São Paulo e Capital, Fábricas de Cultura e teatros distritais.

O nome DuNavô significa “por favor” em “criancês”: “Porque criança e palhaço também são aqueles que erram e muitas vezes trocam as palavras, então escolhemos esse nome “DuNavô” para nos aproximarmos do respeitável publico, sem forçar nada, só se houver uma permissão, então… DuNavô a gente pode se apresentar?”, explica Gabi Zanola.

Se você ainda não conhece o trabalho deste grupo, não perca esta oportunidade! Para saber mais detalhes, acesse:  www.facebook.com/DuNavo ou www.instagram.com/trupedunavo

Procure também o canal da Trupe Dunavô no Youtube: www.youtube.com/channel/UCSmQB_tZ1RB9LYK9mg5MLOg

Estas apresentações fazem parte da programação do Viagem Teatral 2017, organizado pelo SESI-SP.

É MESMO UMA PALHAÇADA

Um grupo de palhaços vindos de uma turnê internacional chega para se apresentar, mas ao se deparar com o cenário de outro grupo, percebe que está no lugar errado!

Os palhaços passam a vasculhar esse cenário desconhecido e a “improvisar” cenas com os diferentes objetos encontrados, para entreter o público ansioso pelo espetáculo. Passeando por ilusionismo, mágica, dança e demais variedades circenses, eles se revezam apresentando cenas clássicas e autorais, arrancando boas gargalhadas! E convidam o público para um verdadeiro resgate da memória do circo, valorizando a cultura e proporcionando uma vivência no ambiente circense, que não deve ser esquecida.

Ingressos gratuitos – Os ingressos podem ser reservados pelo site do SESI – WWW.sesisp.org.br

Duração: 50 minutos

Classificação: Livre

Quando: 23 e 24 de junho – sexta-feira – 15h00 e sábado – 16h00.

Onde: Teatro do SESI São Bernardo do Campo – R. Suécia, 900 – Assunção – São Bernardo do Campo – CEP 09861-610

Telefone: (11) 4344-1000 | E-mail: sesisbernardo@sesisp.org.br

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini // Cel: 99568-8773 //lucigandelini@gmail.com

Dia 11 de junho tem Trupe Baião de 2 em Salesópolis

Salesópolis recebe a Trupe Baião de 2 no dia 11 de junho para apresentar o espetáculo “Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” que faz uma verdadeira homenagem ao povo nordestino através do Circo. Ótima oportunidade de conhecer o trabalho desta trupe que vem inovando em seus espetáculos e surpreendendo o público a cada apresentação!

Foto: Ariane Artioli

APRESENTAÇÃO DE CIRCO GRATUITA NA PRAÇA ANTONIO DE SOUZA PRADO

No dia 11 de junho, a Trupe Baião de 2 convida a população de Salesópolis, distrito Nossa senhora dos Remédios e região para um espetáculo divertido, com elementos da cultura popular como Maracatu, Coco, Frevo e Forró, ritmos tipicamente nordestinos que dão o tom das performances circenses e dança. Formada por Guilherme Awazu e Rachel Monteiro, a Trupe Baião de 2 é um grupo de circo contemporâneo que vem ganhando espaço por ir além da diversão e exibição de habilidades técnicas, apresentando um trabalho potente, delicado e poético, além de explorar a dramaturgia em um espetáculo circense. No dia 11 de junho (domingo), a trupe apresenta “Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” na Praça Antônio de Souza Prado, com entrada gratuita e com um programa especial de acessibilidade, com lugares para deficientes físicos e entrada permitida de cão guia para acompanhar deficientes visuais. Esta é uma montagem feita para ruas e praças, que tem como temática os retirantes nordestinos e seus (des)caminhos.

O grupo realiza circulação do espetáculo através do Prêmio Funarte Carequinha de Estimulo ao Circo 2015, e além de Salesópolis, tem apresentações agendadas em Suzano e Poá, tendo já realizado apresentações em Ferraz de Vasconcelos, Biritiba-Mirim, Guaianases, Guararema e Santa Isabel. Todos os lugares das apresentações foram escolhidos por conta da expressiva presença de migrantes nordestinos.

Em “Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” as malas carregam os sonhos de um casal de retirantes que está construindo um novo lar. Malas, que convencionalmente estão presentes em encontros e despedidas, que levam objetos repletos de afetos e significados, mas também a esperança e expectativa de uma vida nova. A alegria, o trabalho, o cansaço e a esperança, se misturam às técnicas circenses em uma contagiante coreografia. A montagem de um lar, a reafirmação de um vínculo de amor e companheirismo. “O conceito de retirante pensado nesta criação é diferente dos retirantes retratados por Portinari, por exemplo, que evidenciou a ideia de sofrimento. Esta montagem trata de um casal sonhador e romântico, que busca sua felicidade em terras mais abastadas que as suas, sem nunca perder a alegria e nem deixar de sonhar”, comenta  Cleuber Gonçalves, que assina o figurino.

“Para tratar de um tema tão íntimo e tão presente ao nordestino, tomamos muito cuidado, já que nossa intenção não era mostrar a dificuldade, nem o lado triste por ter de abandonar a terra querida. Mas sim a esperança, que dá forças a tantas famílias para migrarem em direção a uma nova vida. É uma homenagem aos nordestinos! Passaremos por municípios que possuem grande número de migrantes e acreditamos que desta forma, o circo adquire um papel importante de interação social, em um campo que pretende valorizar a cultura nordestina e discutir o preconceito”, explica Rachel Monteiro, cofundadora da trupe e volante de acrobacia.

O espetáculo tem clima de festa e começa com um cortejo ao som do maracatu, seguido de um número de perna-de-pau, realizado como uma grande brincadeira acrobática no ritmo do Coco, convidando os passantes para se achegar e conhecer uma história composta por elementos típicos da cultura nordestina. A cenografia, inserida no contexto da memória, utiliza objetos que fazem parte da memória afetiva e constituem um ambiente de conforto e segurança, como se aquelas pessoas os utilizassem para recriar o lar de outrora. O figurino tem referências dos festejos e da cultura retirante. Tecidos como juta, rendas e bordados se misturam para criar um visual alegre para esses personagens se deslocam em busca de um lugar melhor, sempre cheios de esperanças.

“Toda essa presença do Nordeste em São Paulo e a nossa própria história, foi o que norteou a pesquisa desta obra. Desde os ritmos escolhidos, danças, até objetos e sua relação com o cotidiano tradicional nordestino”, conta Guilherme Ribeiro Awazu, cofundador da Trupe, acrobalance, perna de pau e malabarismos. E ele ainda complementa: “Se ressaltarmos a realidade da capital paulista, região para a qual vieram milhares de migrantes nordestinos, torna-se ainda mais relevante a necessidade deste tipo de valorização cultural, principalmente misturando-se à arte circense, que também possui essa mesma tônica de resgate de memória e nostalgia”.

“Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” conta com números como a Percha de equilíbrio, modalidade de virtuose e risco, pouco praticada no mundo, com uma técnica de origem familiar, passada de geração para geração e aprimorada no circo tradicional. Ao trazer esta técnica, o grupo une o circo contemporâneo ao tradicional. Trata-se de um aparelho tradicional em que o portô equilibra uma espécie de mastro no qual o volante sobe e executa sua seqüência de movimentos lá em cima, em uma estrutura que, neste caso, é uma lira. O espetáculo conta ainda com técnicas como: acrobacia em dupla, perna de pau, malabares, unindo habilidades como força, equilíbrio e manipulação de objetos. A direção artística é de Ronaldo Aguiar, importante artista da cena circense atual, diretor artístico dos Doutores da Alegria, que trabalhou com importantes nomes como Circo Roda, Circo Zanni, Circo Mínimo, Academia Brasileira de Circo e Universool Circus E.U.A. e que realizou um trabalho fundamental assessorando e situando os membros da Trupe, neste imaginário cheio de cores e danças. A direção de produção é de Marcia Vilela, da Arena Projetos.

“Retirantes: malas, sonhos e mancebos” é um projeto realizado por meio do edital
Prêmio Funarte Carequinha de Estimulo ao Circo 2015, uma realização da Funarte e
Ministério da Cultura.


As apresentações são gratuitas e ao final, a trupe realiza bate-papo sobre o espetáculo e a linguagem Circo. Mais detalhes em: retirantes.wordpress.com/ e www.facebook.com/TrupeBaiaoDe2


FICHA TÉCNICA

Artistas Circenses (elenco): Guilherme Awazu e Rachel Monteiro| Figurinista: Cleuber Gonçalves| Técnico Som: Clóvis Vilela| Direção artística: Ronaldo Aguiar| Produção Executiva: Álvaro Rovares| Direção de Produção e Elaboração: Marcia Vilela/Arena Projetos| Concepção: Trupe Baião de 2


SINOPSE

“Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” conta a história da chegada de um casal de retirantes nordestinos a uma nova terra que agora será chamada de lar. Da arrumação do solo para firmar a casa, até a organização dos objetos que são cheios de histórias, o espetáculo se presta a mostrar a felicidade e a esperança dos retirantes com a nova terra. Retirantes é um espetáculo de circo que também traz à cena elementos de dança e de música, tendo o retirante como tema principal.

Números: Percha de equilíbrio, Perna de Pau, Duo Acrobático e outros.

Duração: 45 minutos – Classificação indicativa: livre – Entrada gratuita

Acessibilidade: A produção irá assegurar posicionamento exclusivo na platéia para cadeirantes (3 espaços reservados), idosos e portadores de deficiência física, auditiva e visual (10 assentos). Pessoas com deficiência visual serão aceitas com seus cães guias.

11 de junho (domingo) – Horário: 10h e 15h
Salesópolis/ Distrito Nossa Senhora dos Remédios – Local: Praça Antônio de Souza Prado, Km 84 – (Duas apresentações)

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini – Cel.: 99568-8773 – lucigandelini@gmail.com

 

Trupe Dunavô apresenta espetáculo de palhaços no SESI Piracicaba

Nos próximos dias, uma das grandes revelações do Teatro Infantil dos últimos anos estará de volta à cidade de Piracicaba como parte da programação do projeto Viagem Teatral SESI 2017. Com o espetáculo É mesmo uma Palhaçada, a Trupe Dunavô diverte adultos e crianças com uma montagem que faz referência à memória do circo e promove um grande encontro de gerações! Ótima oportunidade de conhecer o trabalho desta trupe que vem encantando o público por onde se apresenta!

Foto: Julio Leão

ESPETÁCULO “É MESMO UMA PALHAÇADA” RELEMBRA CLÁSSICOS DO CIRCO

Nos dias 10 e 11 de junho, a Trupe Dunavô, formada por Renato Ribeiro, Vinicius Ramos, Gis Pereira e Gabi Zanola, apresenta o espetáculo É mesmo uma Palhaçada no SESI Piracicaba. As apresentações fazem parte do projeto Viagem Teatral 2017, realizado pelo SESI-SP. Além da cidade de Piracicaba, o grupo já se apresentou nas cidades de Marília, Osasco, Santos, Mogi das Cruzes, Araraquara, Franca e tem apresentações programadas nas cidades de Itapetininga e São Bernardo do Campo.

Demonstrando às crianças números de palhaços de circo tradicionais e proporcionando aos adultos um momento de lembranças de vivências da infância, o grupo convida a todos para uma verdadeira imersão na linguagem circense, de forma divertidíssima!

“Notamos que para muitas crianças este é o primeiro contato com aquelas cenas, muitas vezes tão antigas, que se mantém e que perpassam por muitos anos. E o mais importante é perceber que estas cenas continuam fazendo sentido! Para nós é uma imensa alegria unir as gerações e ver o resultado”, comenta Gabi Zanola, integrante da Trupe.

O espetáculo “É mesmo uma Palhaçada”, traz a divertida história de três palhaços, que chegam para se apresentar e descobrem que estão no lugar errado. Em meio a essa grande confusão, os palhaços tentam consertar a situação, disfarçar o ocorrido e entreter os espectadores com suas ideias mirabolantes, porém muito atrapalhadas. Através de suas maravilhosas habilidades, eles provocam inúmeras situações inusitadas, mas as coisas não acontecem como o esperado e é aí que a brincadeira começa.

Com números clássicos de palhaçaria circense, mesclado às cenas de autoria do grupo, brincando entre o novo e o já consagrado pelos mestres do picadeiro, a trupe diverte o público e garante boas risadas.

Com o espetáculo “É mesmo uma palhaçada” a Trupe DuNavô  se apropria da linguagem circense em seu caráter lúdico estimulando a imaginação dos espectadores – sejam eles crianças ou adultos – de forma acolhedora e generosa, sem a mínima distinção. Dessa forma, promovem um verdadeiro resgate da memória do circo, valorizando a cultura popular, relembrando clássicos e convidando o público a reviver os grandes e tradicionais circos do passado.

Além deste trabalho, a Trupe Dunavô tem em seu histórico uma aclamada temporada no Centro Cultural São Paulo no ano de 2015, quando surpreendeu a todos com uma delicada fábula chamada Refugo Urbano, que arrebatou o público, esgotando ingressos na Sala Jardel Filho (a maior do Centro Cultural São Paulo, com cerca de 320 lugares). Nessa temporada de estreia de seu primeiro espetáculo totalmente autoral, atraiu também os olhares da crítica especializada, recebendo duas indicações para o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem, nas categorias Melhor Atriz (Gabi Zanola) e Prêmio Sustentabilidade, categoria com a qual foi premiado. Em uma votação especial, organizada para escolher os melhores do ano, o espetáculo foi ainda eleito pelos leitores do Guia Folha como Melhor Espetáculo Infantil do Ano de 2015.

A Trupe Dunavô tem como base de sua pesquisa a linguagem do palhaço. Durante sua trajetória, o grupo vem realizando diversos experimentos, fazendo referência à memória do circo ou inovando e levando a linguagem do palhaço para espaços fora do convencional. Com seus três projetos (Refugo Urbano, É mesmo uma Palhaçada e O Livro do Mundo Inteiro) a trupe vem apresentando o palhaço ao público em suas diversas vertentes. Em 2016 a Trupe realizou temporada do espetáculo “Refugo Urbano” no Espaço dos Parlapatões e SESC Itaquera, participou do Festival Nacional de Teatro de Jales e do XII Festival Nacional de Teatro de Limeira. Fez parte da programação do Circuito SP de Cultura com “Refugo Urbano” e “É mesmo uma Palhaçada”, se apresentando em diversos espaços importantes da cidade de São Paulo. Foi convidada para integrar a programação do maior festival de humor do mundo: o Festival Risadaria, apresentando dois de seus espetáculos “É mesmo uma Palhaçada” e “O Livro do Mundo Inteiro” (espetáculo de improviso onde a trupe convida o publico a escrever uma história nova a cada dia de espetáculo), que tiveram enorme repercussão junto ao público do Festival. Participou do Circuito Cultural Paulista (APAA-Associação Paulista de Amigos da Arte) e do Festival Paulista de Circo com o Espetáculo “É mesmo uma Palhaçada”, além de circular por diversas unidades do SESC de São Paulo e Capital, Fábricas de Cultura e teatros distritais.

O nome DuNavô significa “por favor” em “criancês”: “Porque criança e palhaço também são aqueles que erram e muitas vezes trocam as palavras, então escolhemos esse nome “DuNavô” para nos aproximarmos do respeitável publico, sem forçar nada, só se houver uma permissão, então… DuNavô a gente pode se apresentar?”, explica Gabi Zanola.

Se você ainda não conhece o trabalho deste grupo, não perca esta oportunidade! Para saber mais detalhes, acesse:  www.facebook.com/DuNavo ou www.instagram.com/trupedunavo


Procure também o canal da Trupe Dunavô no Youtube: www.youtube.com/channel/UCSmQB_tZ1RB9LYK9mg5MLOg


Estas apresentações fazem parte da programação do Viagem Teatral 2017, organizado pelo SESI-SP.


É MESMO UMA PALHAÇADA

Um grupo de palhaços vindos de uma turnê internacional chega para se apresentar, mas ao se deparar com o cenário de outro grupo, percebe que está no lugar errado!

Os palhaços passam a vasculhar esse cenário desconhecido e a “improvisar” cenas com os diferentes objetos encontrados, para entreter o público ansioso pelo espetáculo. Passeando por ilusionismo, mágica, dança e demais variedades circenses, eles se revezam apresentando cenas clássicas e autorais, arrancando boas gargalhadas! E convidam o público para um verdadeiro resgate da memória do circo, valorizando a cultura e proporcionando uma vivência no ambiente circense, que não deve ser esquecida.

Ingressos gratuitos – Os ingressos podem ser reservados pelo site do SESI – WWW.sesisp.org.br

Duração: 50 minutos
Classificação: Livre

Quando: 10 e 11 de junho (sábado e domingo) – Horário: às 16h00.

Onde: Teatro do SESI Piracicaba – Avenida Luiz Ralph Benatti, 600 – Vila Industrial – 13412-248 Piracicaba – SP – 

Telefone: (19) 3403-5900

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini // Cel: 99568-8773 //lucigandelini@gmail.com