Arquivo mensais:março 2018

Tungstênio | Trailer Oficial

Trailer do filme baseado na hq de Marcello Quintanilha.

Somos lutadores! Somos duros! Somos vencedores!

 Somos lutadores! Somos duros! Somos vencedores!

Acreditamos na coragem que temos de enfrentar aqueles que ousam nos roubar.

Acreditamos na força que de nós emerge na defesa dos nossos direitos.

Eles não vão roubar nossas flores na primeira noite. Não ficaremos calados.

Não vão matar nossas flores nem nosso cão. Não deixaremos.

Não vão entrar em  nossa casa nem roubar nossa luz. Partiremos pra cima deles.

Não vão nos fazer ter medo nem arrancar nossa voz. Teremos muito a dizer.

Teremos muita força para lutar e vencer. Não entregaremos nada.

Não deixaremos tirar nada de nossa casa. Partiremos pra cima deles com a certeza da vitória.

Eles podem achar que nos enganam.

Eles podem pensar que somos fracos, que nada podemos.

Partiremos pra cima deles e arrancaremos suas cabeças.

Somos da Paz, mas não nos calamos diante de injustiças.

Não deixaremos impunes quem tripudia dos nossos direitos e subestima nossa inteligência.

Eles não vão ter dias tranquilos. Não vai haver proteção que impeça nossa fúria de agir.

Não toleraremos  suas mentiras.

Não abraçaremos suas causas,elas já causam transtornos demais.

Ocuparemos suas ruas, suas casas, suas consciências.

Vamos pesar nos seus ombros.

Vamos vibrar nos seus ouvidos nossos cantos de guerra.

Se eles são covardes, somos bravos.

Eles que corram pra debaixo da cama.

Somos lutadores! Somos duros! Somos vencedores!

 

Criolo – Menino Mimado

Criolo – Menino Mimado

Não, eu não aceito essa indisciplina
Acho que você não me entendeu
Meus meninos são o que você teceu
Em resistência ao mundo que Deus deu
E eu não aceito, não

Não, eu não aceito essa indisciplina
Acho que você não me entendeu
Meus meninos são o que você teceu
Em resistência ao mundo que Deus deu

Então pare de correr na esteira e vá correr na rua
Veja a beleza da vida no ventre da mulher
Pois quem não vive em verdade, meu bem, flutua
Nas ilusões da mente de um louco qualquer
E eu não aceito, não

Não, eu não aceito essa indisciplina
Acho que você não me entendeu
Meus meninos são o que você teceu
Em resistência ao mundo que Deus deu

Eu não quero viver assim, mastigar desilusão
Este abismo social requer atenção
Foco, força e fé, já falou meu irmão
Meninos mimados não podem reger a nação

Eu não quero viver assim, mastigar desilusão
Este abismo social requer atenção
Foco, força e fé, já falou meu irmão
Meninos mimados não podem reger a nação
Meninos mimados não podem reger a nação

Renato Russo (*1960 + 1996) – Strani Amori

Renato Russo (*1960 + 1996) – Strani Amori

Mi dispiace devo andare via
Ma sapevo che era una bugia
Quanto tempo perso dietro a lui
Che promette e poi non cambia mai
Strani amori mettono nei guai
Ma, in realtà, siamo noi

E lo aspetti ad un telefono
Litigando che sia libero
Con il cuore nel lo stomaco
Un gomitolo nell’angolo
Lì da solo, dentro un brivido
Ma perché lui non c’è

E sono strani amori che
Fanno crescere e sorridere
Tra le lacrime
Quante pagine lì da scrivere
Sogni e lividi da dividere
Sono amori che spesso a questa età
Si confondono dentro a quest’anima
Che si interroga senza decidere
Se è un amore che fa per noi

E quante notti perse a piangere
Rileggendo quelle lettere
Che non riesci più a buttare via
Dal labirinto della nostalgia
Grandi amori che finiscono
Ma perché restano nel cuore

Strani amori che vanno e vengono
Nei pensieri che lì nascondono
Storie vere che ci appartengono
Ma si lasciano come noi

Strani amori fragili
Prigionieri liberi
Strani amori mettono nei guai
Ma, in realtà, siamo noi

Strani amori fragili
Prigionieri liberi
Strani amori che non sanno vivere
E si perdono dentro noi

Mi dispiace devo andare via
Questa volta l’ho promesso a me
Perché ho voglia di un amore vero
Senza te

Raul Seixas – Mamãe, eu não queria

Raul Seixas – Mamãe, eu não queria

Mamãe, eu não queria Mamãe, eu não queria Mamãe, eu não queria Servir o exército (*) Não quero bater continência (lalalalá) Nem pra sargento, cabo ou capitão (lalalalá) Nem quero ser sentinela Que nem cachorro vigiando o portão Não! Mamãe, eu não queria Mamãe, eu não queria Mamãe, eu não queria Servir o exército…