Arquivo mensais:abril 2019

Minha terceira vez na Europa – Parte 3

Minha terceira vez na Europa – Parte 3

Quando cheguei em Zurique passei na alfândega e tive de contar minha vida pra eles saberem qual me interesse em vir a Sarajevo. Fiz um passeio pela cidade suíça, mas nem me lembro. Fiquei chateado com a desconfiança deles que eu fosse um terrorista e levava bombas na minha humilde mochila. Não bastasse isso, durante a madrugada no aeroporto, por volta de 4h da manhã, outros seguranças me abordaram e fizeram as mesmas perguntas. Acho mesmo que tenho cara de terrorista. Talvez seja o jeito simples, despreocupado e seguro para grandes explosões. Acho estavam me seguindo pelas câmeras.Fui várias vezes ao banheiro, fazer xixi, claro. Já falei outras coisas sobre Zurique. Esta foi pra finalizar. Não quero mais ir pra Suíça depois do fim da viagem. Nem adianta me convidarem. Não torço mais pro Roger.Não quero ver a seleção de futebol deles jogar e dispenso o queijo suíço no lanche do Subway. No more cheese! Agora entendo o Ozzy…

O hostel onde estou é legalzinho, simples, limpo e bem receptivo. Os hóspedes? Não falei muito com eles. Não tô com vontade de fazer mais amigos. Ah! Ia me esquecendo, achei uma carteira cheia de cartões e outras coisas. Vi um garoto procurando algo no mesmo banco onde achei a carteira. Tentei conversar com ele, mas ele não entendia Português, nem Chinês nem Inglês nem Javanês. Parei de tentar e fui embora. Nem olhei direito porque tinha muitos papéis, mas nada com alguma referência sobre Sarajevo. Calculo que seja impossível no momento tentar entregar. Vou tentar outro dia, pois volto a Sarajevo antes de retornar ao Brasil. Pelo que vi deve ser alguém árabe: o perfeito terrorista. Vou ver ainda hoje, 14/julho, tento algum contato na internet. Daqui a pouco vou ouvir um pouco de música e dormir. For now, it’s over!

Acabaram de chegar umas pessoas aqui. Uns hóspedes do barulho, mas só um pouquinho. I think they are a little bit alcoholized. They are gone out. Oh, my God! What gonna happen to them? I don’t know. I don’t hope anything bad, of course… It’s 2: 45 AM. See you!

Final da Copa do Mundo 2018, na Rússia, França X Croácia. Eu tava fazendo uma postagem no blog e acabei perdendo os dois primeiros gols. Já estava 1 x 1 quando eu fui pra praça ver o jogo. Creio que quando a Croácia empatou o jogo, eu ouvi umas explosões. Neste momento, estou em uma lanchonete onde comi um lanche quase natural. Tava gostoso. Na verdade, estou voltando aqui. Eu fui ao hostel por uma blusa porque tá um pouco frio. São 11h 15 da noite. De manhã quando levantei, tava um dia chuvoso. Fiquei um pouco no hostel e saí para comer algo. Fui à estação de ônibus comprar uma passagem. Amanhã, vou a Ljubljana, na Eslovênia. Não sei quantos dias vou passar lá. Talvez um ou dois. Depois volto a Zagreb e vou para Belgrado, talvez passe um dia lá e vou pra Skopje, capital da Macedônia.

Vai ser uma longa viagem. Tenho que ver minha agenda para definir o que vou fazer e quando. Tem um monte de gente aqui com umas camisas que parecem toalhas de cantinas ou tabuleiros de xadrez em cores vermelha e branca. os caras perderam a final da copa e festejaram muito o segundo lugar. Acho que vou para o hostel, o frio está me incomodando. Parece que as nuvens chuvosas chegaram. Depois quero falar sobre a viagem de Sarajevo para Zagreb… A viagem foi longa. São aproximadamente 400 Km. Seria uma viagem de 5 a 6 horas. Durou umas 10 horas. Cheguei a pensar que estávamos indo para algum lugar bem distante e errado. Percorremos por lugares muito bonitos, era verde e água por todos os lados. Havia inúmeras chácaras pelo caminho. Creio que eram para visita e recreação em finais de semana. Houve momentos em que eu queria estar em casa. Senti saudade de tudo lá. Estou indo agora para Ljubljana, Eslovênia. Saímos da rodoviária às 13h 45. São 14h 17. No caminho do hostel à rodoviária, passei na praça onde vi o jogo. Muita gente deve ter virado a noite lá e outros chegado pela manhã. Tava uma festa intensa. Tinha um animador no palco e continuava chegando gente por todos os lados. Não me atrevi a perguntar. Deixe-me ver onde fica o hostel em Ljubljana: Esqueci o nome e o endereço. Tô mais perdido que cachorro que cai de mudança. Se eu tiver o endereço, chego em alguns minutos. Tenho que ver no email.

Kotnikova ulica 4 Osvoboldine Fronte – Resljeva cesta Right Masarykova cesta/ left p/ Kopitarjeva cesta left Poljranka cesta right Ulica Janeza Paula II. Achei a rota. Depois de andar um pouco em círculos, encontrei dois garotos que estavam hospedados no mesmo hostel que eu procurava. Fui com eles até lá. Agradeci a gentileza e apresentei-me na entrada e subi ao quarto 153. O hostel é grande. Parece até um colégio. O supervisor do trem acabou de passar para conferir a passagem. São 8h 40, estou indo a Skopje, na Macedônia. São aproximadamente 20 horas de viagem. Devo chegar lá por volta de 4h 30 da manhã. Hoje é dia 18 de julho. A estadia no hostel Tabor foi tranquila. Quando entrei no quarto, havia um rapaz, ele estava dormindo. Arrumei minhas coisas e saí para conhecer um pouco a cidade. Andei pouco, tava meio tarde e eu, cansado. Voltei ao hostel e verifiquei meus emails, li algumas notícias, ouvi músicas e acho que postei algumas coisas no Bloginforma.

Beth Carvalho (*1946 +2019) – Andança

Beth Carvalho (*1946 +2019) – Andança

…Me leva, Amor. Por onde for quero ser seu par…

Vanusa – Mensagem

Vanusa – Mensagem

Porém não tive coragem
De abrir a mensagem
Porque na incerteza, eu meditava e dizia:
Será de alegria ?
Será de tristeza ?
Quanta verdade tristonha
Ou mentira risonha, uma carta nos traz…
E assim pensando rasguei, tua carta
E queimei, para não sofrer mais.

Companhia dos Solilóquios apresenta CAFÉ na SP Escola de Teatro

Foto de Photuns

A Companhia dos Solilóquios leva teatro juvenil para a Praça Roosevelt ao apresentar CAFÉ na SP Escola de Teatro. A peça busca valorizar o protagonismo do jovem em cena e na vida.

Companhia do Solilóquios leva Teatro Jovem para a Praça Roosevelt

Após uma temporada de estreia no Centro Cultural São Paulo em janeiro de 2019 com enorme sucesso de público e mídia, a Companhia dos Solilóquios apresenta o espetáculo CAFÉ em uma nova temporada,  que agora acontece na SP Escola de Teatro, na Praça Roosevelt.

A montagem que, segundo a curadoria do Centro Cultural São Paulo, foi a peça jovem mais assistida nos últimos anos neste espaço, volta em cartaz na SP Escola de Teatro de  até 05 de maio de 2019, abordando o tema “Amor” na juventude de forma sensível e poética.

Criada a partir de um poema escrito pelo dramaturgo Herácliton Caleb, “CAFÉ” é uma peça jovem que aborda as expectativas e rituais de passagem dos romances juvenis para a fase adulta, com verdade e empatia, convidando o público de todas as idades para um momento de aproximação com o universo juvenil.  

A montagem, que tem direção e dramaturgia de Bruna Vilaça, e atuação de Gabriel Galante e Weslley Nascimento, busca dialogar com o público jovem de forma sincera.

Através de uma conexão verdadeira com suas verdades e inverdades, fugindo de estereótipos e formas caricatas de se retratar a juventude, o espetáculo valoriza o jovem como protagonista de sua própria história, já que uma fatia expressiva deste público, por muito tempo, se viu pouco representada em espetáculos teatrais.

A obra adentra a vida de dois garotos que vivenciam uma trajetória romântica permeada somente por assuntos sobre café. Conflitos, inseguranças, paixões, fantasias, um misto de sensações que permeiam o período da juventude, retratadas com sensibilidade, cuidado e empatia.

“Como é se perceber e perceber o outro, em meio a este grande período de transição que a juventude representa a cada um de nós?” é uma das reflexões propostas por esta montagem cuja encenação transpassa o convencional teatro realista, misturando linguagens como artes plásticas, dança-teatro e musicalidades, facilitando a aproximação e a conexão entre a obra e o público jovem.  

CAFÉ é um convite para jovens e adultos refletirem sobre a passagem do tempo e sobre como cada um de nós lida com as mudanças inerentes a ela. A montagem marca a estreia da Companhia dos Solilóquios, que busca através do Teatro Jovem, se aproximar de temas e reflexões muito importantes e necessárias.

Idealizada em 2018, a Companhia dos Solilóquios tem como proposta a montagem de obras inéditas, afim de contribuir com a propagação de dramaturgias exclusivamente brasileiras e de novos formatos cênicos que possuam um grande poder de comunicação com o público, partindo sempre das temáticas sociais referentes ao nosso tempo.

Se programe e vá conhecer este trabalho. Mais informações em : www.facebook.com/ciadossoliloquios

Espetáculo CAFÉ

Com Companhia dos Solilóquios

SINOPSE

Dois jovens se conhecem em uma cafeteria da avenida central e vivenciam uma trajetória amorosa, na qual suas fases são comparadas às de um café sendo feito. O espetáculo adentra cenas das personagens em diferentes momentos do amor e através de analogias sobre café conseguem expressar sentimentos e retratar um romance projetado para o futuro, mas perdido no tempo.

Drama, teatro jovem, narratividade, 60 minutos.

Tema: juventude, passagem da vida, romance, conversas sobre café.

Recomendação etária: 10 anos

Temporada: até 05 de maio de 2019

Horários: Sexta-feira e sábado às 21h / Domingo às 19h

Ingressos: R$20 (inteira) / R$10 (meia entrada)

Onde: SP Escola de Teatro  – Sede Roosevelt – Praça Franklin Roosevelt, 210, consolação. (5 min do metrô República).

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini – Cel 99568-8773 – lucigandelini@gmail.com

Últimas apresentações de Utopia do Memória na Oficina Cultural Oswald de Andrade

Utopia da Memória – Foto: Fernando Solidade

Estudo de Cena convida público para uma experiência teatral que relembra lutas dos movimentos populares por direitos em uma série de episódios históricos: Eldorado dos Carajás, Canudos, Cangaços, Cicatriz, Espaços do Lembrar, Rastro Vermelho, Mariana, Carandiru, Campos de Batalha e Barricadas do Amanhã.

Estudo de Cena encerra temporada de Utopia da Memória na Oficina Cultural Oswald de Andrade

Nos dias 25, 26 e 27 de abril de 2019, a Companhia Estudo de Cena realiza as últimas apresentações da temporada de Utopia da Memória na Oficina Cultural Oswald de Andrade, que fica na Rua Três Rios, 363 no Bom Retiro. Com entrada gratuita, as apresentações acontecerão na próxima quinta e sexta-feira às 20h00, e no sábado às 18h00.

Utopia da Memória é uma experiência teatral que convida o público para uma imersão na memória social do Brasil, transitando entre passado, presente e futuro. É baseada nos históricos de lutas e resistências dos movimentos populares, como o massacre dos trabalhadores rurais sem-terra em Eldorado dos Carajás, ocorrido neste município do Pará, em 17 de abril de 1996. E relembra também as lutas dos movimentos populares por direitos em uma série de episódios históricos: Canudos, Cangaços, Cicatriz, Espaços do Lembrar, Rastro Vermelho, Mariana, Carandiru, Campos de Batalha e Barricadas do Amanhã.

O formato atual de Utopia da Memória é uma experiência cênica onde público e elenco ocupam o mesmo espaço. A peça narra histórias de pessoas e lugares por onde o grupo esteve durante a pesquisa, usando recursos ficcionais e documentais. Em uma cabine é possível enviar recados para o futuro, que serão guardados em uma cápsula do tempo e enterrados posteriormente em espaços da memória cultural da cidade de São Paulo e do Brasil. Ao final o cenário se transforma em uma exposição de fotos e a narrativa segue a partir do olhar das pessoas presentes.

Utopia da Memória surgiu a partir de um processo de pesquisa e criação que durou cinco anos. Neste período, o grupo trabalhou em territórios brasileiros em parceria com pessoas organizadas pela defesa integral dos direitos humanos; como coletivos de cultura, núcleos universitários, organizações comunitárias e movimentos sociais.

Em parceria com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) o grupo atuou em Eldorado dos Carajás (sul do Pará) local que é um marco da luta mundial pela terra, em diversos assentamentos e ocupações pelo Brasil. Junto ao Movimento Pela Soberania Popular na Mineração (MAM) a atuação ocorreu em cidades mineiras e paulistas que tem sua população atingida pelo avanço da mineração.  Com o apoio do Prêmio Myriam Muniz a Estudo de Cena percorreu a região de Canudos, sertão da Bahia, onde realizou intercâmbio de ações conjuntas e estudos com movimentos que reivindicam a memória popular do Arraial de Belo Monte (Canudos). Em 2018, com o apoio do Edital Proac, o grupo esteve em cidades do Estado de São Paulo em parceria com organizações de luta pelos direitos humanos e contra a violência de estado.

Neste percurso de pesquisa foram realizadas peças de teatro, intervenções de rua, experimentos cênicos e seguidas atividades artístico-pedagógicas. Utopia da Memória é fruto do acúmulo desta caminhada de muitos encontros, trocas e reflexões críticas sobre a história do Brasil.    

As ações tem apoio do 32º Edital de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.

Para mais informações, acesse: www.facebook.com/CompanhiaEstudodeCena

Ficha técnica

Criação e produção: Estudo de Cena | Direção e texto final: Diogo Noventa | Direção musical: Roberto Kroupa | Direção de transição de cena e coreografia: Juliana Liegel | Atrizes e atores criadores: Carolina Maluf, Cau Peracio, Juliana Liegel, Marilza Batista, Roberto Kroupa | Criação de luz: Melissa Guimarães | Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini | Fotografias: Fernando Solidade

Utopia da Memória

Utopia da Memória poderia ser um caderno de anotações, fragmentos de memória de quem pisa a terra e não representa apenas uma pessoa. Em nossa caminhada encontramos muita gente! Muitos ocupam terra, outras disputam ideias e imaginários….tem gente que constrói a soberania popular na mineração…tem gente, muita gente em becos e vielas, em beiras de estrada, muita gente que luta contra a invasão de nossos direitos. Em comunhão preparamos o terreno, acendemos fogueiras e refletores para celebrar a vida e morte da memória de luta do passado que virá.

Últimas apresentações da temporada: 25, 26 e 27 de abril de 2019

Horários: Quintas e Sextas-feiras às 20h00 / Sábados às 18h00.

Onde: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Sala 03 – Endereço: Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro (próximo ao metrô Tiradentes) – Telefone (11) 3222-2662

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini – Cel 99568-8773 – lucigandelini@gmail.com